...

7 de setembro de 2013

Os dias ...

setembro 07, 2013 1 Comments
Os dias passam, a gente se torna mais forte, mas há situações que por mais que passem os dias, os meses e os anos a gente jamais se acostuma. Sinto-me forte, mas há dias que essa fortaleza pede folga e vai passear, deixando-me a mercê dos meus sentimentos. Às vezes é bom, porém há dias que meus sentimentos me traem e sozinha me perco. Um dia li um texto com o tema “Ah essa montanha-russa!” era um desabafo de uma mãe especial, nele ela descrevia os altos e baixos dos seus sentimentos, um dia somos forte como uma rocha, indestrutíveis, indesistíveis, outros dias, porém são carregados me medo, ansiedade e até mesmo desespero.  Não é nada fácil ser assim, não é nada fácil viver assim!

Apego-me a Deus e minha oração sempre é a mesma “não me deixe desistir!”, por mais difíceis que sejam os meus dias, por mais tenebroso que pareça o amanhã, não quero desistir! Já me decepcionei muito e já decepcionei a muitos também, porém não posso fazer dos meus erros motivos para desistir, mas faço deles degraus de sabedoria para o meu amanhã, sinto muito se não sou perfeita, sinto muito por não regredi! Não me envergonho dos meus erros, pois eles me mostram quem eu sou, uma simples mulher que necessita da graça de Deus. Eles também me fazem crescer, fazem o meu coração mais humilde, eles me fazem lembrar que eu tentei ...

A vida é assim cheia de surpresas! Cabe a nós não desistir, cabe a nós não parar de tentar, ainda que a nossa força tire uns dias de folga, a gente parar, descansa e logo volta ao batente! Afinal a vida é uma dádiva de Deus!





Deixo esse texto que descreve não só o viver de uma mãe especial, mas de todas nós que recebemos uma missão sublime, porém nada fácil. Ser mãe de uma criança com necessidades especiais! 

Eu estou usando um par de sapatos. São sapatos bonitos... Mas são desconfortáveis. Eu uso estes sapatos todos os dias. E cada dia eu gostaria que eles ficassem mais confortáveis. Alguns dias meus sapatos fazem doer tantos os meus pés, que acho que não serei capaz de dar mais nenhum passo. No entanto, vou continuar a usá-los e continuo a minha jornada... Eu recebo olhares engraçados por usar destes sapatos. Posso dizer que, pelo olhar das pessoas, elas ficam contentes pelos sapatos serem meus e não delas. Elas nunca falam sobre os meus sapatos... Saber quão dolorosos meus sapatos são podem deixá-los constrangidos. Para compreender verdadeiramente estes sapatos, é preciso andar com eles. Mas, uma vez que você os calça, nunca poderá tirá-los... Agora percebo que não sou a única que usa estes sapatos. Há muitos pares nestes mundo. Algumas mulheres sofrem diariamente enquanto tentam e caminham com eles. Algumas aprenderam a andar neles de maneira que não as machuquem tanto. Algumas têm usado os sapatos por tanto tempo, que o dia vai passar antes que elas possam se lembrar do quanto machucam. Ninguém merece usar esses sapatos. No entanto, é por causa destes sapatos que eu sou uma mulher forte. Eles me fizeram quem eu sou. Eu sou uma mãe que tem um filho com necessidades especiais. Vou sempre andar com esses sapatos.

Autor Desconhecido - Retirado da página:
"Single Mothers who have Children with Austin"
Revista Autismo N. 03 Ano 04